quinta-feira, 22 de junho de 2017

CHAPEUZINHO VERMELHO

Oi, gente!!!

Bom, estou estou trabalhando contos de encantamento com os meus alunos e a primeira história que contei foi a da Chapeuzinho Vermelho. Para criar todo um clima, decidi me fantasiar de Chapeuzinho e foi um sucesso total! Abaixo estão os vídeos da contação.

Beijinhos,
Tia Bia



sábado, 3 de junho de 2017

SEQUÊNCIA DIDÁTICA - CHAPEUZINHO VERMELHO

Olá, pessoal! 

Iniciarei contos de encantamento com a minha turma do 2º ano e o primeiro a ser abordado será Chapeuzinho Vermelho.
Para isso, contarei a história totalmente caracterizada (ainda essa semana irei postar o vídeo da contação). Também criei uma sequência didática com folhinhas e tentei abordar várias disciplinas. Cliquem nas fotos para aumentar o tamanho.

Beijinhos,
Tia Bia






quinta-feira, 2 de março de 2017

NOVA PARÓDIA SINAIS DE PONTUAÇÃO - IVETE

Oi, gente linda!

Fiz mais uma paródia sobre sinais de pontuação. Já que estamos em ritmo de carnaval, decidi escolher uma das músicas da nossa querida Ivete!

Espero que vocês gostem! Curtam, comentem e compartilhem com outros professores!!

Beijão,
Tia Bia


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

CLASSIFICAÇÃO DOS ANIMAIS

Logo no início do Ensino Fundamental, os estudantes precisam ampliar seus conhecimentos sobre o tema, se apropriando do vocabulário científico, que organiza os bichos em répteis, mamíferos, aves, anfíbios e peixes

"Galinha e pássaro fazem parte do mesmo grupo porque têm penas." "Peixe, pinguim e pato ficam juntos porque nadam." "Cavalo, gato e cachorro têm quatro patas, então, devem formar outro conjunto." "Golfinho e tubarão são peixes porque sabem nadar." É assim que os alunos do 3º ano da Escola Móbile, em São Paulo, justificam suas escolhas durante a tarefa de classificar os animais proposta pela professora Adriana Caravieri Rosa. Para analisar o que as crianças já sabem, ela distribui fotos de bichos e pede que, em equipe, elas as separem de acordo com algum critério que julguem válido e eficiente.



Como é possível notar, a atividade de sondagem revela que, mesmo com falas um pouco distantes do vocabulário científico, que classifica os animais formalmente em mamíferos, répteis, aves, peixes e anfíbios, a meninada já tem algumas noções válidas que vão servir de base para dominar esse conteúdo. 

Qual o primeiro passo para a turma avançar? Não adianta apresentar os termos formais e montar uma lista, separando os animais de acordo com suas características. O ideal é encaminhar os alunos a notar as fragilidades das classificações propostas por eles mesmos e justificar o que está correto. 

Isso não quer dizer apontar que está errado reunir peixes, pinguins e patos no mesmo grupo, mas, sim, que essa maneira não funciona para os cientistas porque são animais com características muito distintas, que precisam ser estudadas para que eles sejam organizados de outro modo. Levar em conta o tamanho dos bichos para agrupá-los ou então considerar somente um atributo (como ter quatro patas) são ideias que precisam ser revistas, pois apresentam fragilidades e, muitas vezes, são contraditórias. 


"Uma das minhas intervenções é questionar se todos concordam com as sugestões apresentadas. Depois pergunto quais mudanças indicam e proponho utilizarmos outros critérios ao mesmo tempo, por exemplo, a forma de locomoção e o tipo de ambiente em que os animais vivem", explica Adriana. Dessa forma, a professora encaminha a turma a considerar não só as características físicas externas dos bichos para classificá-los - os lagartos têm quatro patas e nem por isso, do ponto de vista científico, fazem parte do mesmo grupo dos cachorros, não é mesmo?





Tipo de reprodução e de habitat são características importantes

Antes de trabalhar o tema em sala, é importante estudar bem o assunto - para não passar informações erradas e poder responder com segurança às crianças o que elas perguntam. É óbvio que fazer pesquisas durante o trabalho para solucionar as dúvidas que surgirem e aprender algo curioso com a garotada é normal. Mas o básico você precisa saber. A começar por um pouco de história. Sabe por quê, desde quando e como os bichos são classificados do ponto de vista científico? Organizar, classificar e ordenar os animais é um meio de ter controle sobre eles - e há muito tempo o homem se dedica a essa tarefa.

A primeira proposta de classificação de que se tem notícia é do filósofo grego Aristóteles (384-322 a.C.). Como critério, ele considerava as características externas dos bichos e a utilidade deles para o homem. O resultado foi a divisão em vertebrados e invertebrados (respectivamente, aqueles que têm e não têm coluna vertebral). Embora ambos os conceitos sejam utilizados até hoje, Carlos de Godoy, consultor de Ciências da Móbile, alerta que essa é só uma divisão informal para facilitar o entendimento da organização. Ela não tem valor para a taxonomia, a ciência da classificação dos seres. 

As categorias de classificação em vigor atualmente foram elaboradas no século 18 pelo cientista sueco Carlos Lineu (1707-1778). Ele criou as divisões reino, filo, classe, ordem, família, gênero e espécie. "Elas são organizadas em ordem decrescente: espécies com características em comum formam um gênero e diversos gêneros com semelhanças consideráveis constituem uma família e assim por diante", diz Marcio Cotomacci, pesquisador da Sangari Brasil, em São Paulo. 

O trabalho realizado pela turma da Escola Móbile tem a ver com o reino animal e com as classes dos répteis, peixes, anfíbios, mamíferos e das aves. Para sistematizar o conteúdo, Adriana montou uma tabela de dupla entrada. Ela listou os itens habitat, respiração, locomoção e reprodução na primeira coluna e pediu que as crianças preenchessem cada uma das colunas seguintes com as informações referentes a um animal. Depois de muitas pesquisas, a professora ajudou a turma a aproximar os bichos com o maior número de características semelhantes. Para finalizar a tabela, apresentou o nome das classes dos animais. Dessa maneira, Adriana fez com que as crianças aprendessem participando do processo.

Fonte: https://novaescola.org.br/conteudo/70/e-hora-de-aprender-a-classificar-os-animais?utm_source=tag_novaescola&utm_medium=facebook&utm_campaign=mat%C3%A9ria&utm_content=link 

sábado, 5 de novembro de 2016

PARÓDIA TENHO QUE ESTUDAR - NÃO QUERO DINHEIRO (TIM MAIA)

Oi, gente!!!

Tem nova paródia no Canal do Blog lá no Youtube! Dessa vez fiz com um estilo diferente, pois normalmente eu crio a paródia explicando um conteúdo. Mas agora decidi fazer uma sobre a importância de estudar.

Espero que vocês gostem. Deixem seus comentários!

Um beijão,
Tia Bia


sábado, 29 de outubro de 2016

CABANINHA DA LEITURA

"Tia, sabe quando vai ser a hora mais feliz? Hoje de noite, porque já vai ser noite e amanhã a gente vai fazer a cabaninha."

Oi, pessoal!!!

Hoje vim postar um projeto meu que eu simplesmente AMO: a Cabaninha da Leitura! Eu realizo em todos os lugares que trabalho, pois o resultado é sempre maravilhoso!

Bom, quem me conhece sabe que adoro fazer coisas diferentes no meu trabalho e compartilho minhas ideias aqui para que outros professores possam usá-las em suas turmas também. Sou super a favor de incluir brincadeiras como parte do processo de aprendizagem, pois sinto que elas realmente dão resultado se aplicadas de maneira correta.

Quando propomos uma brincadeira, há todo um objetivo pedagógico por trás, porém a criança não percebe isso, ela pensa que está apenas brincando, mas para mim ela está aprendendo. E como a brincadeira é algo prazeroso para o aluno, as chances de ele aprender o conteúdo são bem significativas. 

Eu sempre trabalhei a maior parte do tempo com turmas de 2º ano e como são crianças recém-alfabetizadas, é nesse momento que elas precisam ler muuuuito. Meu objetivo é criar em todo aluno o gosto pela leitura, fazer com que eles percebam que ler é muito gostoso, é fazê-los respirarem livros, gibis, revistas...

Então, eu criei a Cabaninha da Leitura!!! Eu lembrei que quando era criança, eu adorava brincar de cabaninha, por isso, apostei nessa ideia para estimular a leitura na minha sala de aula e DEU SUPER CERTO! Vou explicar como funciona:

PARA ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1:

Eu peço na agenda para que eles tragam uma almofada num dia específico (geralmente uma vez na semana, no últímo tempo, e tento organizar o planejamento de forma que eu consiga realizar a Cabaninha durante 30 minutos no mínimo). Quando eu falo na almofada, eles já ficam super animados! rsrs

Geralmente, no primeiro dia em que realizo a Cabaninha da Leitura com uma turma nova, eu falo a seguinte frase do Rubem Alves: 

"Livros são brinquedos feitos de letras. Ler é brincar". E explico o significado dessa frase de forma bem lúdica, para que eles realmente sintam que o livro é um brinquedo bem legal e que o ato de ler é a brincadeira!

Na hora da atividade, afasto todas as cadeiras de forma organizada e prendo TNT com durex ou barbante, formando uma cabaninha sobre as cadeiras. Na primeira vez, levei até os lençóis daqui de casa mesmo rs. Depois de tudo montado, coloco cestinhas espalhadas pelo chão, com livrinhos e gibis. Após isso, vou chamando um por um e peço para que escolha qualquer livro ou gibi. Em seguida, a criança escolhe um lugar da cabaninha para ler deitada na sua almofada ou apenas sentada mesmo. As almofadas servem para criar um clima bem aconchegante na sala.

Confesso que nas 3 primeiras vezes em que realizo esse projeto nas turmas, as crianças ficam bem agitadas, pois é tudo muito novo para elas, ficam muito animadas. Mas não podemos desistir! Eu insisti na proposta e sempre conversei com eles que momentos de leitura necessitam de silêncio para nos concentrarmos e dei exemplos de bibliotecas e salas de leitura. Logo eles compreenderam tudo e eu conseguia fazê-los ficarem 30, 40 minutos em total silêncio na sala de aula, simplesmente porque eles estavam super concentrados no que estavam lendo. É muito mágico vê-los lendo e gostando de ler! E eles sempre lamentam no final da atividade: "Poxa, já acabou?", "Ah, tia, estava tão gostoso!", "Eu adoro essa brincadeira!", "Tia, guarda esse livro pra eu continuar lendo depois?".

Com o passar do tempo, eles criaram um prazer tão grande por leitura, que eu sempre me emociono! E o reconhecimento dos pais também é grande. Eles sempre agradecem, pois veem a evolução dos seus filhos em relação a leitura e a animação das crianças quando é dia de Cabaninha. 

PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL:

Com os pequeninos o objetivo continua o mesmo, porém a atividade precisa de algumas alterações. Como os alunos da educação infantil ainda não sabem ler, eu realizava contações de histórias. Escolho um dia na semana para realizar a atividade e geralmente as almofadinhas deles já ficavam na própria sala de aula, bem guardadinhas, mas se você não tiver espaço na sua sala de aula, combine com os responsáveis e alunos enviando um bilhete na agenda, solicitando que toda segunda-feira (ou qualquer outro dia) eles levem a almofada. Eu sentava com todos na cabaninha e realizava a contação, depois deixava as crianças pegarem o livro e folheá-lo, pois é importante que os pequenos tenham o contato com o livro. Em seguida, realizávamos alguma atividade relacionada a história.

OBSERVAÇÃO: É importante dizer que antes de eu colocar este projeto em prática, eu passei em todas as salas de aula do colégio pedindo livros e gibis antigos que os alunos não quisessem mais e que, obviamente, estivessem em bom estado. Foi assim que montei meu pequeno acervo aqui em casa e continuo montando, pois em todas as escolas que trabalho eu realizo a Cabaninha da Leitura e arrecado mais livros e gibis. Depois, é bom organizar os livros por faixa etária, assim fica mais fácil na hora de trabalhar com turmas de anos diferentes.

Vou postar algumas fotos para vocês!

Bom, gente, espero que vocês tenham gostado do meu projeto. Comentem o que acharam, deem sugestões e se realizarem com a turma de vocês, comentem como foi! Vamos trocar experiências e criar o gosto pela leitura em nossos pequenos!

Um grande beijo,
Tia Bia





























segunda-feira, 24 de outubro de 2016

UMA PROFESSORA MALUQUINHA

Oi, pessoal!

Já faz um tempinho que aconteceu a festa de dia das crianças da escola em que trabalho. Foi um dia bem legal, com muitas opções de atividades. Como eu sou professora da Sala de Leitura, fiquei responsável por realizar uma contação de história no dia do evento.

Pois bem, escolhi uma história que amo de paixão: O Menino Maluquinho! Então, para que tudo ficasse mais divertido, decidi contar vestida de Menino Maluquinho. Fui atrás de peças de roupa parecidas com a capa do livro e também não poderia faltar a clássica panela na cabeça.

Fiquei surpresa como esse personagem ainda consegue ser atual, pois me lembro de ter lido esse livro quando tinha uns 7 ou 8 anos. Ele continua na mente das pessoas até hoje e até mesmo os meus aluninhos de apenas 6 anos já o conheciam. Assim que funcionários e alunos me viram fantasiada, já começaram a brincar e me chamar de Menino Maluquinho. Ziraldo é mesmo um sucesso! O Menino Maluquinho é mesmo um sucesso!

Bom, eu sou apaixonada por contar histórias, adoro mesmo! Eu vou contando, interpretando e escolhendo a melhor intonação para cada momento. Nesse dia, contei essa mesma história 7 vezes, para 7 grupos de crianças. Crianças que ouviram até mais de uma vez. Foi realmente um sucesso! Fora as fotos que muitos pediram pra tirar comigo rs.

Vou postar algumas fotos para vocês!

Beijinhos,
Tia Bia